Madrid
Weather Icon
New York
Weather Icon
Rome
Weather Icon
Lisboa
Weather Icon
C. Mexico
Weather Icon

OS COMBOIOS DE ALTA VELOCIDADE, CADA VEZ MAIS PERTO DE DUPLICAREM A SUA VELOCIDADE

OS COMBOIOS DE ALTA VELOCIDADE, CADA VEZ MAIS PERTO DE DUPLICAREM A SUA VELOCIDADE

Atualmente, os TGV (Comboios de Alta Velocidade) estão presentes em todo o mundo. Mas foi o Japão o país que mais se destacou nesta vertente tecnológica, a nação considerada como pioneira dos comboios de alta velocidade. Em 1960 foi criada uma linha rápida denominada “Shinkansen” , capaz de alcançar os 320 km/h.

A linha ligava as cidades de Tóquio e de Osaka, as maiores do país. A infraestrutura foi concebida pelo governo japonês, que planeava juntar-se a várias marcas internacionais.

A Kawasaki, a Sumitomo, a Mitsubishi e a Hitachi associaram-se com a finalidade de criar trajetos de alta velocidade em todo o território nacional.

Essas empresas conseguiram criar linhas entre a capital japonesa e uma grande quantidade de territórios, promovendo velocidades de até 350 km/h.

Mas foi durante este ano de 2020 que o governo japonês lançou a ideia de atingir uma maior rapidez nas suas linhas ferroviárias. Concebeu um plano com várias empresas nacionais para instalar uma linha entre Yamanashi e Tóquio.

Capaz de chegar a velocidades de até 500 km/h. A conclusão do projeto está prevista para 2027, faltando ainda superar inúmeros desafios até se alcançar os objetivos propostos.

Embora os planos do projeto não tenham sido suficientemente sublinhados, pensa-se que a tecnologia a utilizar no impulso da maquinaria será a “levitação magnética”.

Trata-se de uma tecnologia que faz com que o comboio possua uma sustentação muito mais abrasiva.

Resulta consequentemente numa capacidade de alcançar velocidades de até 6440 km/h. Mas é neste ponto que ocorre a correspondente desaceleração, devido ao peso e à dimensão da maquinaria utilizada.

Importa destacar que o Japão conta já com esta tecnologia através do “JR Maglev”. Trata-se de um comboio de levitação magnética que chega até à cidade de Yamanashi, capaz de alcançar sem dificuldade velocidades de 350 km/h.

Mas o projeto do governo japonês não é único no que diz respeito à rapidez ferroviária. A China já se propôs superar também a velocidade habitual dos TGV. Conta para isso com o apoio da companhia “CRRC”, a maior fornecedora de equipamento ferroviário do mundo.